Cantinho da Saudade
Onde a Poesia Fala Mais Alto!
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
MUSA PRIMORDIAL DO VELHO VATE

Rias da minha timidez de adolescente
O coração disparado, a voz confusa,
Sentimento turbado, reticente,
Amarfanhado com a mudança obtusa...

Maviosa como o canto de um pássaro
A tua voz era sussurro de paixão
Redesenhando em meu peito áspero
Imerso nas labaredas do vulcão
A vontade de sentir tua combustão!

Numa noite a conhecer o ambiente
Um beijo tu me deste tão fugaz
Nessa hora algo em mim, de saliente,
Erguia-se a dar alguns sinais,
Sinais de vida... era eu, então, rapaz!

Faz tanto tempo que o tempo pediu arrogo...
Essas peripécias, o teu cheiro bom,
Inútil querer negar. A ferro e fogo
Tatuou-se em mim o tato, o gosto, o som,
O proibido desejo, o desafogo...
Saudade da tua pele cheirando a mate
Ah! musa primordial do velho vate!

Melgaço, Pará, Brasil, 15 de novembro de 2006.

Composto por Jaime Adilton Marques de Araújo.

Acróstico Anterior | Próximo Acróstico
Jaime Adilton Marques de Araújo
Enviado por Jaime Adilton Marques de Araújo em 01/08/2020
Alterado em 01/08/2020
Comentários