Cantinho da Saudade
Onde a Poesia Fala Mais Alto!
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
ELEGIA PÓSTUMA A MINHA AVÓ MATERNA

Jamais tive o privilégio de beijar-te o rosto,
Acariciar tuas mãos, deitar-me em teu colo!...
Creio que provém daí a cratera sentimental,
Imensa cratera que marcou indelevelmente

Minha vida! Sim, é a falta de teu carinho
A solidão que me perturba nas noites sem luar
Ratificando o desejo profundo de ver-te!
Quem sabe um dia nos propicie Deus
Um inesquecível encontro na imensidão do Infinito!
Esse há de ser um dos dias mais felizes da minha vida.
Sentar-me-ei ao teu lado outra vez criança e

Chamar-te-ei simplesmente de... vó!
Oh, inaudito momento: estrelas cadentes cumprindo desejos,
Risos estampados em rostos serenos,
Réstia de luz invadindo o peito,
Êxtase dos êxtases, pureza inocente do primeiro verso!
Assim, vovozinha, esqueceremos esses anos de ausência e solidão!

 
Melgaço, Pará, Brasil, 15 de fevereiro de 2005.

Composto por Jaime Adilton Marques de Araújo.

Acróstico Anterior | Próximo Acróstico
Jaime Adilton Marques de Araújo
Enviado por Jaime Adilton Marques de Araújo em 31/07/2020
Alterado em 01/08/2020
Comentários